Zé Mauricio Machline

O Prêmio

José Maurício Machline é o idealizador do Prêmio da Música Brasileira. Mas para os amigos – e para o mundo da cultura brasileira – ele é apenas Zé Maurício. A intimidade tem um porquê. Machline trabalha com música, televisão, teatro e literatura há trinta anos. Está no comando de grandes eventos, nos estúdios de gravação e nos bastidores da televisão.

foto_ze_mauricio_0

“Sempre foi um apaixonado por música. Isso explica por que, ainda como executivo do Grupo Sharp, começou a se envolver com produção musical.”

Nasceu em Porto Alegre, em 1956. Sempre foi um apaixonado por música. Isso explica por que, ainda como executivo do Grupo Sharp, começou a se envolver com produção musical. Em 1982, fundou a empresa Pointer, que mais tarde se transformou num selo com discos lançados de Leny Andrade, Jane Duboc e César Camargo Mariano, entre outros. Em 1987, criou o Prêmio Sharp de Música e o Prêmio Sharp de Teatro. A década de 90 trouxe novidades. Em 1991, começou a apresentar “Por acaso”, programa de TV em que entrevistava artistas e celebridades. Neste mesmo ano, lançou seu primeiro disco, ainda em vinil, apenas para os amigos . Depois, vieram mais quatro. “Os gordos também amam” (1996) é a trilha de um musical dirigido por Irene Ravache e estrelado por José Maurício. “Toques de umbanda” (1999) traz canções que sempre fizeram parte da sua vida e de sua espiritualidade. Em “Mania de Vocês” (2001), Machline prestou uma homenagem às compositoras brasileiras, interpretando suas canções. E no mais recente deles, “Além da Razão (2008), escolheu quinze canções essenciais de sua vida para interpretar, em duetos com grandes artistas. Como produtor, esteve à frente de importantes eventos como o Prêmio Craque do Brasileirão, Prêmio Caras de Música, Brasil in Mônaco, entre outros.