Lista: 10 músicas imperdíveis segundoTom Jobim

27 dezembro 2012,   By ,   0 Comments

Listas são um clássico desta época do ano.  Mas ao invés de uma retrospectiva, listamos as dez músicas essenciais da MPB. Segundo quem? Tom Jobim, o homenageado do PMB de 2013. As músicas foram escolhidas por ele numa entrevista nos anos 70.

“Carinhoso” (Pixinguinha e João de Barro)
A música foi composta em 1917 por Pixinguinha e a letra, em 1937. “Fiz em 1917. Naquele tempo o pessoal nosso da música não admitia choro assim de duas partes (choro tinha que ter três partes). Então, eu fiz o ‘Carinhoso’ e encostei. Tocar o ‘Carinhoso’ naquele  meio! Eu não tocava!”, disse ele em depoimento ao Museu da Imagem e do Som.  Ela foi gravada pela primeira vez em 1928.  Orlando Silva adorava a música e gostava de ver Pixinguinha tocá-la no dancing Eldorado. Foi ele que sugeriu que ela ganhasse uma letra. Chamou João de Barro (o Braguinha) , que foi ouvir Pixinguinha tocar, rascunhou a letra num guardanapo e quatro dias depois ela estava pronta !

“Na Baixa do Sapateiro” (Ary Barroso)
Ary Barroso era mineiro, de Ubá. Mas,em 1934, foi passar uma temporada em Salvador com uma orquestra. E se encantou. Sorte da música brasileira, pois a partir deste encanto foram compostos muitos clássicos como “Na Baixa do Sapateiro”, que ficou famoso na voz de Carmen Miranda, em 1938. “No Tabuleiro da Baiana” e “Quando Eu Penso na Bahia”, foram outros.


“Saia do caminho (Custódio Mesquita)
Um clássico, mas que tem uma história triste por trás:  a música seria gravada em 1945 pelo cantor Jorge Goulart. Mas, na véspera, o compositor Custódio Mesquita – que tinha apenas 35 anos – morreu.  Por isso a gravação foi cancelada. No ano seguinte, Aracy de Almeida gravou o samba-canção pela primeira vez.

Veja agora nesta versão com Tom, Miúcha e Toquinho.

“Mulher” (Custódio Mesquita e  Sadi Cabral)
A música teve sua gravação original na voz Silvio Caldas, em 1940.

“Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda” (Lamartine Babo e Francisco Mattoso)
A música foi composta para fazer parte de uma opereta que Lamartine estava escrevendo, “Viva o amor”. Mas a opereta nunca ficou pronta e, em 1941, ela foi gravada pela primeira vez, por Francisco Alves . Escolhemos aqui a versão de João Gilberto.

“Feitio de Oração” (Vadico e Noel Rosa )
Vadico conheceu Noel Rosa em 1932, nos estúdios da Odeon. No mesmo dia lhe mostrou um samba que havia feito. Noel colocou a letra e esta foi a primeira parceria dos dois. Juntos os dois ainda compuseram clássicos como “Feitiço da Vila”, “Pra que Mentir”, “Conversa de Botequim”, entre outros. A letra era inspirada numa das namoradas de Noel.  E foi interpretada por Marisa Monte no Prêmio da Música Brasileira!

“Até Pensei” (Chico Buarque )
Uma modinha de 1968.

 “Pra Dizer Adeus” ( Edu Lobo e Torquatto Neto)
Tom considerava Edu um de seus filhos musicais. Ao escrever um texto em um disco de Edu, Tom disse: “Eu voz saúdo em nome de Heitor Villa-Lobos, teu avó e meu pai  – Um Antônio Brasileiro”. Nos anos 60, Edu freqüentava o Beco da Garrafas – endereço da Bossa Nova – e em 1961 fez sua primeira parceria com Vinícius. Na mesma época, conheceu Torquato Neto – baiano que passava uma temporada no Rio de Janeiro . “Trabalhamos durante três meses, foi quando fizemos ‘Veleiro’, ‘Lua Nova’ e ‘Pra dizer adeus’, que considero uma das minhas três melhores músicas”, disse Edu.  Tom também adorava a música, que foi incluída no disco em que eles fizeram juntos, em 1981, “Edu & Tom, Tom & Edu”.

“Coração Vagabundo” ( Caetano Veloso )
A música é do primeiro LP de Caetano, “Domingo”, gravado em parceria com Gal Costa. “Coração Vagabundo” foi o primeiro sucesso dos dois. Veja uma interpretação com Tom e a versão original!

 

“Acalanto” (Dorival Caymmi )
A música é uma canção de ninar que Dorival fez para Nana que, quando bebê, demorava muito a dormir. Usou com inspiração a música de ninar “Boi da Cara Preta”. Nos anos 60, iria gravar a música com sua mulher Stella que acabou desistindo. O diretor artístico da Odeon, Aloysio de Oliveira, sugeriu que a própria Nana, que tinha 18 anos , cantasse.