O sabiá e os cravos

25 abril 2014,   By ,   0 Comments

O 25 de Abril é uma data histórica para os portugueses. Nesse dia, em 1974, ocorreu a Revolução dos Cravos, que encerrou uma ditadura que perdurava desde 1933 e abriu espaço para a volta da democracia. Enquanto isso, vivia o Brasil a primeira metade de um regime de exceção que só teria fim uma década depois.

Um ano antes da revolução portuguesa, Chico Buarque (em parceria com Ruy Guerra) havia lançado “Fado Tropical”, canção que fazia um paralelo entre as realidades dos dois países e anunciava: “Esta terra ainda vai cumprir seu ideal / Ainda vai tornar-se um imenso Portugal”.

Profecias à parte, Brasil e Portugal trilharam seus caminhos entre afinidades e diferenças. Na música, ao longo dos anos que se passaram, nem sempre o diálogo foi fácil. Mas houve recentemente um movimento que nos trouxe novidades d’além mar. Artistas como Carminho e António Zambujo, por exemplo, começaram a abrir portas para que a canção portuguesa seja vista com outros olhos e as duas culturas se (re)aproximem. Foi o que se viu no ano passado, na 24ª edição do Prêmio da Música Brasileira.

Convidados a participar da festa, eles subiram ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para homenagear Antônio (Brasileiro) Jobim. E quis o destino que cantassem uma parceria de Tom e… Chico Buarque. Justamente “Sabiá”, uma canção que fala de exílio – fado tão comum aos que enfrentaram as ditaduras dos dois lados do Atlântico.