25º PMB: a lista dos indicados

Saiu a lista!

Confira aqui estão os indicados ao 25º Prêmio da Música Brasileira, que será realizado no dia 14 de maio, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, homenageando o samba.
ARRANJADOR

• Gilson Peranzzetta. Álbum: Edu Lobo e Metropole Orkest. Artista: Edu Lobo e Metropole Orkest

• Sacha Amback. Álbum: Atento aos Sinais. Artista: Ney Matogrosso

• Vittor Santos. Álbum: Se Me Chamar, Ô Sorte. Artista: Wilson das Neves

MELHOR CANÇÃO

• Cara de Queixa (Wilson das Neves e Paulo César Pinheiro). Artista: Wilson das Neves. Álbum: Se Me Chamar, Ô Sorte.

• Samba para João (Wilson das Neves e Chico Buarque). Artista: Wilson das Neves. Álbum: Se Me Chamar, Ô Sorte.

• Se Me Chamar, Ô Sorte (Wilson das Neves e Cláudio Jorge). Artista: Wilson das Neves. Álbum: Se Me Chamar, Ô Sorte

A nossa bossa
A nossa bossa
By ,   No tags,   0 Comments

Bossa nova é, essencialmente, samba. Com uma certa influência do jazz, mas samba. E o compositor Carlos Lyra tem muito a ver com isso. Pertence ao grupo seminal da bossa nova, ao lado de músicos como Roberto Menescal, Billy Blanco, João Gilberto e Tom Jobim. E foi quem anunciou, em letra e música, sem rodeios, essa transformação:

Pobre samba meu
Foi se misturando
Se modernizando
E se perdeu
E o rebolado, cadê?
Não tem mais
Cadê o tal gingado que mexe com a gente?
Coitado do meu samba, mudou de repente
Influência do jazz

Alguém sempre te socorre

Durante muito tempo, houve um certo temor pela sobrevivência do samba, o homenageado do 25º Prêmio da Música Brasileira. Sua aceitação, na verdade, demorou a acontecer, marginalizado que era por ter sua origem nas camadas mais pobres da sociedade. Nélson Sargento, em uma de suas mais belas e conhecidas composições, já recordava que, ao longo de sua história, o gênero havia sido “duramente perseguido nas esquinas, nos botequins, nos terreiros”.

Sargento celebrou a resistência e afirmou que o samba agoniza, mas não morre. Porém não escondeu a preocupação com aqueles que mudavam toda a sua estrutura e lhe impunham outra cultura sem que os próprios sambistas percebessem.