O verão em música

Todo verão aparecem novos hits para embalar esse clima de férias. Enquanto a maioria dessas composições tem uma vida sazonal, outras canções, aquelas que falam do verão em si, permanecem ano após ano na memória do povo. Isso porque é fato que as altas temperaturas do nosso país tropical pedem trilha sonora.

Caetano Veloso fez um samba só para ele: o verão. O cantor, que já recebeu 14 PMBs durante a carreira, conseguiu homenagear muito bem a estação. Outro vencedor do PMB, Edu Lobo, que soma três prêmios, também tem o verão como tema de uma de suas canções.

Caetano Veloso – Samba de verão

Edu Lobo – Noite de Verão

Deixando o samba um pouco de lado, há músicas com pegada mais pop e rock que também usam o verão como cenário das histórias contadas em suas letras:

Skank – Noites de um verão qualquer

Los hermanos – Deixa o verão

Outra temática possível para músicas de verão é falar da temperatura. Fernanda Abreu, Adriana Calcanhoto (que tem 5 PMBs) e Bruna Mendez, conseguiram transformar em música tudo aquilo que os cerca de 40ºC emanam.

Fernanda Abreu – Rio 40 graus

Adriana Calcanhoto – Calor

Bruna Mendez – Calor sol e sal

Para finalizar, algo que ninguém pode esquecer nesse calor. Afinal, é uma questão de saúde manter-se hidratado.
Timbalada – Água Mineral

Por Acaso no Rival encerrou sua primeira temporada com Baby do Brasil e Maria Gadú

Encerrando a primeira temporada do Por Acaso em seu novo formato, o Teatro Rival recebeu Baby do Brasil e Maria Gadú para um encontro descontraído com muita música e bate-papo. O ponto alto da conversa, dessa vez, foi presenciar os depoimentos pessoais das duas artistas sobre detalhes íntimos de suas vidas.

Maria Gadú esbanjou uma sensação de conforto e familiaridade desde o primeiro momento. Diante de um teatro lotado, ela conversou como se estivesse em uma roda de amigos próximos. O clima a deixou à vontade para discutir sobre a sua orientação sexual, questões de gênero e sobre a liberdade de amar quem se quer e ser quem se é. Além disso, Gadú preencheu os corações da plateia com belas canções e sua voz doce e suave.

 

Já Baby do Brasil foi responsável por trazer uma certa nostalgia ao falar de sua trajetória na música e cantar alguns dos seus sucessos do passado. Baby também não ficou intimidada pelos holofotes e falou sobre sua vida como pastora, sobre a sua relação com os filhos e ainda revelou a origem de sua abstinência sexual.

 

As duas, que nunca tinham dividido o palco uma com a outra antes, conseguiram encerrar essa temporada do Por Acaso de um jeito muito especial: leve, livre e descontraído. E isso tudo pode ser assistido agora:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

O Por Acaso no Rival reuniu talentos da vanguarda da música Brasileira em seis encontros no palco do Teatro Rival. Enquanto a segunda temporada ainda está sendo preparada, os momentos com Zeca Pagodinho e Mariene de Castro, Gal Costa e Alice Caymmi, Lenine e Roberta Sá, João Bosco e Hamilton de Holanda e Ney Matogrosso e Filipe Catto podem ser vistos e revistos em nosso canal.

Ney Matogrosso, Filipe Catto e Simone Mazzer impressionam em mais um encontro de talentos do Por Acaso no Rival

As personalidades performáticas de Filipe Catto e Ney Matogrosso não precisam de apresentação formal. A comparação entre o talento dos dois não é novidade e eles entendem a razão, já que os timbres de suas vozes são mesmo similares.

O gaúcho Filipe Catto, logo no começo do programa, cantarola quatro estrofes de uma canção tradicional do estado mais ao Sul do Brasil, mas confessa que explora pouco essa vertente regional. O artista também revela que o irmão e o pai têm vozes parecidas, apesar de não a dividirem com o grande público profissionalmente. Mas a maior comparação de seu talento, concorda Filipe, é com o companheiro de palco, Ney Matogrosso.

 

O evento ainda teve uma surpresa: a participação da cantora e atriz Simone Mazzer. A artista não só contou um pouquinho sobre como começou a se aventurar no mundo da música, como também acompanhou Filipe Catto em diversas canções.

 

Durante o bate-papo, Ney Matogrosso contou sobre a história do figurino mascarado que usava para se apresentar com o grupo Secos e Molhados. Tal vestimenta despertou uma liberdade de expressão que ele próprio desconhecia até aquele momento. Não fica dúvida de que essa personalidade única o consagrou como figura ímpar no cenário da música brasileira.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

O Por Acaso no Rival reativou os saudosos encontros do programa Por Acaso dos anos 90. A cada semana, dois nomes de vanguarda da música brasileira se encontram para cantar e bater um papo com Zé Maurício Machline no palco do Teatro Rival, no Rio de Janeiro.