Sarau celebra memória e obra de Tom Jobim

24 Maio 2013,   By ,   0 Comments

411

Como já é tradição em todas as edições do Prêmio da Música Brasileira, foi realizado na última quarta-feira, 22 de maio, um sarau para reunir alguns dos artistas que estarão na apresentação e na turnê do Prêmio da Música Brasileira. O encontro aconteceu na residência do idealizador do PMB, José Maurício Machline.

Entre os convidados, artistas como Leila Pinheiro, João Bosco, Zé Renato, Zélia Duncan, Gilson Peranzzeta, Jaques e Paula Morelenbaum, Marisa
Orth, Fernanda Tavares e Murilo Rosa, que apresentará a turnê do Prêmio.

“As músicas de Tom Jobim são sofisticadas, têm caminhos melódicos surpreendentes!”, destaca o cantor Zé Renato, ao falar sobre o homenageado desta edição.

O cantor e instrumentista João Bosco, o homenageado de 2012, ressaltou que não são apenas as canções de Tom Jobim que estarão na premiação, mas, toda a obra dele, que vem à tona para apreciação. “Talvez o Tom seja o maior compositor brasileiro de todos os tempos”, conclui. Bosco brinca que durante a turnê, fará várias perguntas a Jaques Morelenbaum que trabalhou dez anos com o maestro, sobre alguns detalhes da obra de Jobim.

Morelenbaum, que é arranjador do Prêmio, revelou suas expectativas em relação ao Prêmio. “Para mim, o maior desafio é fazer arranjos que agradem ao Tom. Convivi muito com ele, então, cada nota que eu escrevo, é como se ele fosse ouvir daqui há dois minutos e eu quero agradá-lo, evidentemente”, salienta.

A cantora Paula Morelenbaum, que também cantou ao lado de Jobim por uma década, lembrou que a simplicidade das músicas do maestro encantavam a todos, independentemente da nacionalidade. “Na década de 80, estivemos com ele em Berlim e no Japão e foi incrível a receptividade em canções como “Chega de Saudade”. As pessoas cantavam junto!”.

O ator Murilo Rosa destacou a importância da turnê do PMB. “O homenageado, que sempre é um grande artista, é apresentado, com outros artistas, para uma população que talvez nunca tivesse a oportunidade de
assistir a um show como este. É um trabalho super bonito!”, elogia.

Leila Pinheiro, que pela primeira vez se apresentará na noite da premiação, revelou a felicidade desse gostinho de estreia, “ainda mais cantando Tom Jobim, que é a grande luz da minha música, minha maior referência musical”. Leila cantará “Desafinado” na grande noite de 12 de junho.

Gringo Cardia, responsável pelo cenário, escolheu o artista Athos Bulcão como a inspiração. Ele explicou o porquê da escolha de Bulcão: “É gráfico modernista, que tem uma beleza muito sutil e combina muito com a música
minimalista do Tom”, lembra.

No decorrer do encontro, como não poderia deixar de ser, a música esteve presente em diversas interpretações da obra de Tom. Em um dos momentos mais emocionantes da noite, João Bosco tocou e cantou “Dindi”. Leila Pinheiro fez dupla com Bosco em “Sinhá” e com Paula Morelenbaum em “Falando de Amor”. E assim, prosseguiu até a madrugada uma noite cheia de memórias e musicalidade!

412