O rei do breque

24 Abril 2014,   By ,   0 Comments

Não é mentira: ele nasceu no dia 1º de abril. Sinal precoce da malandragem que seria sua marca no samba, onde fez carreira como cantor e compositor. Mas vale dizer que esse “malandro” trabalhou duro e fez shows até pouco antes de falecer, aos 98 anos.

Quando falamos nas variantes do samba – homenageado do 25º Prêmio da Música Brasileira –, é quase impossível não recordar Moreira da Silva, que tornou-se a referência maior do chamado samba-de-breque. A bem da verdade, quem inaugurou o estilo, em que a música é subitamente interrompida para o intérprete encaixar frases faladas, foi outro cantor, Luiz Barbosa, nos anos 1930. Mas Moreira aperfeiçoou a técnica e virou o grande nome do gênero.

Colecionou sucessos como “Na Subida do Morro”, “Acertei no Milhar e “O Rei do Gatilho”, canção em que surgiu o personagem Kid Morengueira, apelido que o acompanharia até o fim da vida.

Já idoso, mas em plena atividade, Moreira da Silva morava em frente a um cemitério, no bairro do Catumbi, no Rio de Janeiro. E costumava dizer: “Já comprei meu jazigo. Quando morrer, é só atravessar a rua”.